Logo - Sesc Pantanal Estância Ecológica

Institucional

Notícias

Sesc Pantanal atua na prevenção de incêndios na maior Reserva Natural do país e combate ao fogo em áreas vizinhas

30/07/2020
Fonte: Sesc Pantanal
Foto: Sesc Pantanal


Monitoramento por satélite, aéreo, terrestre e fluvial, aceiros, limpeza de estradas de acesso e campanha de sensibilização da população do entorno estão entre as principais ações realizadas pelo Polo Socioambiental Sesc Pantanal na prevenção dos incêndios florestais. Responsável pela conservação da maior Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) do país, a instituição também colabora com o combate a incêndios em áreas vizinhas. Nesta semana, a atuação da equipe acontece na terra indígena Perigara, na comunidade do Distrito São Pedro de Joselândia, em Barão de Melgaço, e em uma propriedade vizinha na região do Porto Cercado, em Poconé.

O período da seca começou mais cedo neste ano e é propício para a propagação do fogo, que já atinge o Pantanal mato-grossense nas proximidades da Transpantaneira.

“O Sesc Pantanal tem experiência, há mais de 20 anos, com planejamento, estratégia de atuação e treinamento de combate ao fogo, por isso nos colocamos à disposição de moradores e também do setor turístico, que já sofre com incêndios próximos a Transpantaneira. Nossa atuação é voltada para a conservação do Pantanal e Cerrado e o trabalho de prevenção é parte disso. Todo o trabalho, porém, não garante que o fogo chegue e avance. Por isso, a conscientização na manipulação do fogo é tão importante”, diz a superintendente do Sesc Pantanal, Christiane Caetano.

Somadas, a área da RPPN e das outras duas unidades do polo socioambiental, localizadas no Pantanal e Cerrado mato-grossense - Parque Baía das Pedras, em Poconé, e o Parque Sesc Serra Azul, em Rosário Oeste - totalizam 117 mil hectares de área conservada.

Ações preventivas

Na RPPN Sesc Pantanal, que tem 108 mil hectares, a prevenção ao fogo foi feita, neste ano, com a manutenção da patrulha mecanizada, contratação de brigadistas, aceiros, apoio às comunidades (com aceiros e uso de caminhão pipa), monitoramento por satélite, aéreo, terrestre e fluvial, campanha de sensibilização da população e parcerias com órgãos de fiscalização.

Com 4.200 hectares e localizado a 5 km do Hotel, o Parque Sesc Baía das Pedras, em parceria com a Prefeitura de Poconé, realizou neste ano a abertura da Estrada do Manelito. Paralela ao parque e extensão de mais de 100 km, a estrada colabora para o rápido combate ao fogo e serve como aceiro do fogo que possa vir do Rio Cuiabá para o Parque.

Já o Parque Sesc Serra Azul, que tem um total de 5 mil hectares, dos quais mil foram queimados no ano passado, já está com os aceiros prontos. A unidade conta com diversos equipamentos para o combate ao fogo, como bomba costal, pinga fogo, abafador, tratores, caminhão pipa de 10 mil litros e duas carretas pipas com capacidade de 4 mil litros cada, além de três quadriciclos e drone para monitoramento.

Como membros do Comitê Estadual de Gestão do Fogo, representantes do Sesc Pantanal também se capacitam para o uso de ferramentas de monitoramento espacial em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). A instituição ainda tem o apoio do Batalhão de Emergências Ambientais (BEA), do IBAMA e ICMBio.

Combate ao fogo em áreas vizinhas

O primeiro combate no entorno das unidades do Sesc Pantanal aconteceu nesta semana (27/7), e durou oito horas em um pesqueiro na região do Porto Cercado/Moquém, que contou com a colaboração de guarda-parques, caminhão pipa e pá carregadeira. O segundo combate, realizado no mesmo dia, teve duração de uma hora, no entorno de outro pesqueiro, localizado na entrada do Piraim. No dia 28/7, o apoio foi dado em um sítio na comunidade São Pedro de Joselândia e, nesta quarta-feira (29/7), na terra indígena Perigara.

“A seca começou bem mais cedo este ano e, consequentemente, o fogo também. No ano passado, os primeiros registros foram só em agosto e setembro. A vegetação está muito seca, as baías e corixos também. Qualquer combate tem que buscar água no rio, que também está num nível baixo. Comparando com anos anteriores, era para estar um metro acima. As pessoas precisam ter consciência”, alerta o guarda-parque Manoel Domingos da Costa, que trabalha há 23 anos na instituição.

Em caso de incêndio, ligue 193 ou 0800 647 7363.

Outras Notícias

Mais Notícias