Logo - Sesc Pantanal Estância Ecológica

RPPN Sesc Pantanal

Em 04 de julho de 1997, a Portaria n° 71/97N do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – IBAMA, reconhece a primeira área designada como Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Sesc Pantanal, de propriedade do Serviço Social do Comércio (Sesc). No ano seguinte, a Portaria n° 151/98N reconhece uma nova área adjacente à RPPN, a qual passa a corresponder oficialmente à extensão de 87.871,44 hectares. Com o passar do tempo, foram adquiridos mais 20.101 hectares, que, apesar de não serem formalmente estabelecidos como unidade de conservação, são considerados integralmente como RPPN na gestão e manejo. Desta forma, a área total protegida pelo Sesc no Pantanal chega a 107.996 hectares, correspondendo a quase 1% da extensão total do pantanal mato-grossense. Assim nasceu a maior RPPN do Brasil, que, de antigas fazendas de gado desativadas, fez ressurgir árvores exuberantes, solo fértil e uma fauna bela e diversa.

A RPPN Sesc Pantanal está localizada no município de Barão de Melgaço, um território predominantemente pantaneiro, inundável em grande parte de sua extensão na época das chuvas. O perímetro total da Reserva atinge quase 300 km: no limite noroeste, faz divisa com um trecho de 80 km da margem esquerda do rio Cuiabá, ao leste com um trecho de 30 Km do rio São Lourenço, no limite sul faz divisa com fazendas de gado e a Terra Indígena Pirigara, e na fronteira norte, além de fazendas de gado, está localizado o Distrito de São Pedro de Joselândia, com uma população rural de aproximadamente 2.000 habitantes dispersos em pequenas comunidades rurais.
No ano 2000 a RPPN foi declarada pela UNESCO como Zona-Núcleo da Reserva da Biosfera do Pantanal e em 2003 foi reconhecida como Sítio Ramsar pela Convenção Ramsar de Áreas Úmidas. Portanto, as atividades na Reserva envolvem objetivos em consonância com a legislação vigente (Lei Federal n° 9.985 de 18/07/2000) e as diretrizes gerais da Convenção Ramsar das Áreas Úmidas.

A RPPN tem como objetivos principais:

• Preservar amostras de ecossistemas;
• Preservar a biodiversidade;
• Preservar as espécies raras, endêmicas ou ameaçadas de extinção;
• Facultar a interpretação ambiental;
• Propiciar pesquisas científicas;
• Propiciar educação ambiental na Reserva e no seu entorno;
• Promover a proteção de recursos hídricos.

A implementação da Reserva vem possibilitando a manutenção de serviços ecossistêmicos vitais à reprodução da dinâmica do Pantanal, contribuindo para o provimento de água em quantidade e qualidade, manutenção da biodiversidade, adaptação às mudanças climáticas e diminuição de riscos associados aos fenômenos naturais extremos, serviços que a natureza promove e que são possíveis mediante o manejo e cuidado das áreas protegidas, especialmente áreas mais extensas, como é o caso da RPPN Sesc Pantanal.

Além destes impactos positivos, a Reserva se constitui ainda numa das bases sobre a qual se sustenta a economia da região, possibilitando o progresso econômico e social das comunidades em seu entorno e do município como um todo. Sua existência contribui para o ICMS Ecológico, um recurso financeiro destinado ao município pelo Estado, que tem como base de cálculo a extensão de áreas protegidas em seu território.

Este caminho é longo, cuidar da natureza em um mundo que se urbaniza mais a cada dia pode ser árduo, mas que os benefícios dos resultados se estendem a toda humanidade, numa escala de tempo que alcança as gerações que ainda virão, gerações de formigas, borboletas, peixes, lobos-guará, tamanduás, jaguatiricas, gerações de pessoas com o direito de desfrutar e cuidar deste patrimônio do qual todos nós dependemos.

Localização e acesso:

A RPPN está localizada entre 16° 28’ e 16° 50’ de latitude Sul e 56° e 56° 30’ de longitude Oeste no município de Barão de Melgaço, no limite sul do estado de Mato Grosso, Brasil. Na estação, seca via terrestre a partir de Cuiabá, o deslocamento é pela rodovia MT-040 até o município de Santo Antônio de Leverger, em seguida pela MT-070 até o Distrito de Mimoso (município de Barão de Melgaço) (Estrada Parque Santo Antônio de Leverger – Porto de Fora) e pela MT-455 até o Distrito de São Pedro de Joselândia (percurso terrestre total de aproximadamente 170 quilômetros).

Durante a cheia, o deslocamento a partir de Cuiabá é pela rodovia BR-070, até Poconé pela MT-060, em seguida até Porto Cercado pela MT-370 (Estrada Parque Porto Cercado) (percurso terrestre de aproximadamente 143 quilômetros). De Porto Cercado até a RPPN o deslocamento é realizado via fluvial (rio Cuiabá, Riozinho, canais, corixos), e a parte terrestre é realizada com veículos 4x4, cavalo, quadriciclo, charrete ou carro de boi. Este percurso também pode ser feito na estação seca, partindo de Porto Cercado via fluvial pelo rio Cuiabá até o Porto Biguazal. Em situações emergenciais e para o monitoramento ambiental para prevenção e combate aos incêndios, o deslocamento é aéreo.

As atividades de pesquisa científica e monitoramento ambiental são viabilizadas pela infraestrutura da RPPN Sesc Pantanal, a qual é composta por 7 Postos de Proteção Ambiental, criados nos locais das sedes das antigas fazendas na região, antes da criação da RPPN, inclusive foram mantidos os nomes originais das localidades (Espírito Santo, São Luiz, São Joaquim, Santo André, Santa Maria). A maior parte destes Postos é equipada com alojamentos, torres de observação de 36 metros de altura e meios de transporte para a logística interna da Reserva (caminhão, trator, quadriciclos e equinos).

Além da infraestrutura, uma equipe de 9 Guarda-parques e 8 Auxiliares de Serviços Gerais, trabalham na unidade e são responsáveis por acompanhar os pesquisadores nos trabalhos de campo, fiscalizar a área de abrangência da RPPN e auxiliar ações de logística geral da unidade. Na época da seca, são contratados 19 Mateiros Florestais e 6 Operadores de Máquinas responsáveis pelas atividades de combate e prevenção dos incêndios florestais.

Além desta equipe de campo, os trabalhos são acompanhados por dois setores ligados a duas Gerências da RPPN: de Estudos e Pesquisas e de Infraestrutura.